quarta-feira, 1 de maio de 2013

Tomb Raider - Análise

Nota escolhida pelo autor da Análise: 9,6

Pontos Positivos

• Belos gráficos, tendo como destaque o fogo realista.
• Excelente jogabilidade com aspectos bem variados.
• Enredo bem trabalhado, com um belo desenrolar.
• Personagens carismáticos.
• Apresenta o melhor sistema de combate da série.
• Excelente dublagem.
• Diversos coletáveis que influenciam no tempo de gameplay.
• Apesar de fáceis, puzzles divertidos.
• Movimentação extremamente realista. 
• Mapa vivo, com diversos acontecimentos interessantes.
• Tumbas opcionais que estendem o tempo de gameplay.
• Game legendado em Português-Brasileiro.
• Um dos melhores reboots já lançados.
• Sistema de Upgrades como um todo; XP, Skills, Armas e etc.

• Ambientação e cenários pro enredo.
• Aborda sentimentos humanos como realmente são, sem muita ficção ou exageros.
• Lara Croft mais humana de toda a série, tanto em visual quanto em sentimento.

Pontos Negativos
• Multiplayer problemático.
• Drásticas quedas de FPS.
• Alguns problemas técnicos.
• Apesar de bom, enredo simples demais.

Tomb Raider é um jogo de ação, aventura e exploração produzido pela Crystal Dynamics e publicado pela Square Enix, lançado dia 5 de Março de 2013 disponível para PC, PS3 e Xbox360. O game é um reboot da série Tomb Raider da Core Design (1996–2006) e da Crystal Dynamics (2006–presente).

I guess I'm not that kind of Croft

Lara Croft é uma jovem arqueóloga de 21 anos que busca deixar sua marca no mundo através de descobertas em expedições arqueólogas. Em sua primeira viagem no navio Endurance, Lara busca informações sobre a civilização perdida de Yamatai, com a finalidade 
Lara Croft, protagonista do game.
de encontrar o corpo de Himiko, Rainha do Sol e líder do povo Yamatai, assim finalmente realizando seu sonho de marcar seu nome em toda arqueologia mundial. Por insistência de Lara, James Whitman, arqueólogo líder da expedição, acaba que por ignorar os mitos referentes ao Mar do Diabo (local famoso por seus acidentes e náufragos de navios e aviões), fazendo com que Lara e toda a tripulação do Endurece (outros arqueólogos, fotógrafos, cozinheiros, mecânicos, incluindo a melhor amiga de Lara Sam), parta para as terríveis águas do Mar do Diabo no Japão. Em meio a uma noite comum, Lara é violentamente arremessada contra as paredes do Endurece pelo intenso movimento do navio, até perceber que em meio a viagem, algum acidente aconteceu com o Endurece, fazendo com que o navio se parta ao meio matando grande parte da tripulação. Ao tentar pular para o pedaço do navio que ainda persistia sobre as águas, Lara é pega pelos braços por Roth ( velho amigo da família Croft), mas devido a tempestade que ocorria no momento do acidente as mãos molhadas de Roth deixam Lara escapar de seus braços fazendo a personagem cair no mar totalmente desorientada. Por sorte ou talvez azar, Lara é levada a praia alguns segundos depois pela própria correnteza, perdendo-se do grupo de sobreviventes 
e antes mesmo de ter tempo para pensar em como agir, Lara é ataca por algo ou alguém ficando assim desacordada com um violento golpe na cabeça. Tempo depois, Lara acorda pendurada de ponta cabeça em uma caverna ao lado de diversos cadáveres dando a certeza que aquilo que a capturou considerou que ela estava morta deixando assim seu corpo ali pendurado com os demais. Após uma fuga completamente violenta e repleta de ação frenética, agora Lara Croft precisa sobreviver aos perigos não só da ilha em si, mas também dos homens que a capturou, sem contar que também precisa encontrar seus amigos e descobrir uma forma de fugir da ilha que mais parece um grande cemitério de navios e aviões, provando que realmente é impossível fugir da ilha por métodos convencionais. Como sobreviver, e o que fazer? Esse é o foco do enredo do novo Tomb Raider que mostrará a ascensão de Lara Croft, ou seja, como uma simples sobrevivente de um náufrago tornou-se a grande a poderosa arqueóloga que todos nós já tivemos o prazer de conhecer ou ouvir falar. 

Mais um reboot?


A nova proposta de reinício da Crystal Dynamics pegou todos de surpresa. Em meio a apresentações comuns de empresas de games, es que surge uma CG com a mais famosa heroína dos games de todos os tempos aparece na E3 2011: Lara Croft estava de volta e dessa vez mais fraca do que nunca para a surpresa dos fãs. Não é segredo a ninguém que em Tomb Raider vemos o nascimento de Lara, ao ponto de presenciarmos sua primeira morte da forma mais depressiva e humana possível. Lara Croft não tem duas pistolas, uma regata verde, um shorts extramente curto e seios avantajados, pelo contrário, Lara agora é fraca e precisa de ajuda. Com uma total remodelação não somente de visual e voz (vindos de Camilla Luddington a qual falaremos mais tarde), mas também de personalidade, pela primeira vez em quase 10 anos de games da franquia vemos Lara Croft pedir socorro ou sentir remorso ao matar alguém.
Lara Croft caçando animais para sobreviver.
E não pense que com "matar alguém" estamos referindo apenas a humanos. Como todo e qualquer ser-vivo (incluindo vírus), Lara precisa se alimentar e em uma ilha totalmente psicótica e escassa de qualquer tipo de tecnologia não resta muitas opções. Logo de início no game após uma fuga desesperada vemos Lara perdida, ferida, com frio e com fome. A missão é clara: explore as matas da antiga morada do povo Yamatai em busca de algo a se defender, até dar de cara com um corpo enforcado em uma árvore com o precioso Arco Recurvo, a principal e mais versátil arma do game. Agora que já pode se defender ou quase isso, você já pode buscar comida e abrigo e é nesse momento, na primeira execução de uma futura fria assassina que uma das cenas mais marcantes da série é mostrada: Lara Croft também tem sentimentos, Lara sente dor, aflição, fome, medo, frio e outros diversos sentimentos que ao encarar o rosto da arqueóloga você dificilmente pensará que ela pode sentir algo assim. Talvez por essa simples cena, todo o enredo já mereça uma atenção especial, ou seja, o enredo é sim mais um dos muitos ponto positivo do game. 

Simplesmente o melhor sistema de combates da série

Talvez o que faz o novo reboot da série Tomb Raider realmente valer a pena é a remodelação do sistema de combates e batalhas do game. Pela primeira vez na série, temos um sistema de combate fluído e divertido, muito semelhante a de títulos mais atuais como Uncharted ou Resident Evil. Além disso, as mecânicas facilitadas atraem novos jogadores a série e ao mesmo tempo que nos faz re-acostumar com os novos moldes do título. O recurso cover (esconder-se atrás de objetos para proteger-se de tiros) também está presente no título e de modo automático. 
Você pode caminhar silenciosamente até as costas dos inimigos e executá-los de diferentes formas, dependendo de suas skills (habilidades), que variam de enforcar o alvo usando as arestas do arco recurvo e até mesmo enfiar o machado de escalada em seus crânios matando-os na hora de maneira rápida e silenciosa. Pra finalizar o sistema de combates como um grande ponto positivo, temos os diferentes upgrades (melhorias/atualizações) em todas as quatro armas usadas no game, além de um mecanismo de skills que também pode ser focado unicamente em combates, fazendo com que Lara jogue poeira no rosto dos inimigos para cegá-los, adquira mais força para desferir golpes com o machado e coisa do tipo. Falando em skills e upgrades detalhemos isso a seguir. 

Skills e Upgrades

Ao matar inimigos e animais você recebe XP (experiência), e com XP você pode comprar skills melhorando assim as habilidades de Lara como um todo não focando apenas no combate. Você também pode ganhar XP extra cumprindo determinados atos da campanha, matando inimigos em combates corpo-a-corpo ou com um único tiro na cabeça, caçando coletáveis, explorando tumbas secretas e etc. Há três classes a serem melhoradas: Combatente, Sobrevivente e Caçadora.
Screen de habilidades, mostrando os upgrades disponíveis.
Em combatente as habilidades de combate são melhoradas (como sugere o título) e usamos os já citados exemplos para ilustrar os modos de combate, como pegar poeira do chão e arremessar contra os olhos dos inimigos, ou empurrá-los de lugares altos. Também melhoramos o desempenho com armas, como por exemplo recarregar mais rápido ou mirar por mais tempo. Em sobrevivente os dotes pessoais de Lara são melhorados, fazendo-a ter mais resistência ou poder pular de locais mais altos tomando menos dano entre outros atributos. Em caçadora, Lara aprimora suas habilidades contra os animais que ao serem mortos dão XP e fragmentos, itens usados em upgrades de armas os quais detalharemos a seguir.  

Fragmentos e Peças de Armas

Como explicado, fragmentos server para upgrades específicos em armas, que variam de silenciadores para pistolas a freios de recuo para escopetas. Há fragmentos por toda parte no game: Ao pilhar corpos de inimigos mortos, corpos de animais caçados, em baús e caixas espalhadas por todo o cenário tendo um papel fundamental no gameplay. Ao ter fragmentos suficientes para um determinado upgrade, Lara deve caminhar até uma fogueira de acampamento (locais espalhados por todo o mapa do game), acessar o menu de melhorias, escolher então a melhoraria e por fim aplicá-la. 
Screen de upgrades, mostrando as melhorias disponíveis e o "preço" para as mesmas.
Para contar com equipamentos mais poderosos, é preciso encontrar peças de armas, normalmente encontradas em tumbas secretas extras que também serão detalhados mais tarde. Os upgrades com peças funcionam da seguinte forma: Explore, encontre uma peça onde parecerá a mensagem "Peça de Pistola encontrada 1/3" por exemplo. Reúna as outras duas e vá até o acampamento, onde automaticamente a melhoria será feita sendo irreversível. Esse tipo de melhoria se aplica a todas as quatro armas do modo Single-Player (campanha).

Coletáveis e Desafios

Toda área do mapa possuí um nome específico e uma fogueira de acampamento que serve como local para upgrades e fast travel (viagem rápida), sendo acessível através de outra fogueira a qual você pode entrar no mapa e viajar rapidamente até o local. Toda área do mapa também possuí um desafio específico como por exemplo destruir todos os totens de adoração dos Yamatai ou queimar todas as imagens de crença aos deuses Yamatais. 
Mapa do game marcando tumba secreta. Apesar de grande, o mapa não é tão extenso assim.
Também temos tesouros e documentos escondidos, que mostram mais sobre o enredo e a crença do povo hostil que se encontra no local, enquanto os tesouros possuem uma visualização 3D como uma action figure (a dos personagens você desbloqueia cumprindo determinados desafios os quais podem ser vistos nos menus do game). Paralelo a isso tudo Tomb Raider possuí 7 tumbas secretas com uma peça de arma ou um grande número de fragmentos como recompensa, após passar por um puzzle extremamente fácil, porém divertido e inteligente. Falando em locais e mapas a ambientação é o ponto mais positivo do game. Os cenários são ricos, bem detalhados e contam com belíssimos gráficos e paisagens de tirar o fôlego. Se você presa de uma boa ambientação com belos gráficos, Tomb Raider não decepcionará nesse quesito.

Dublagem e trilha sonora

A dublagem e trilha sonora do game não decepcionam, assim como também temos belos efeitos sonoros de tiros e explosões. A música empolga em cutscenes, momentos de combates ou ao concluir objetivos onde ouvimos um som inconfundível que mesmo com um único título já marca a volta de Lara Croft.

Rosto, voz e corpo de Lara Croft

Falando em Lara Croft, seu corpo, voz e dublagem se deve ao excelente trabalho da atriz inglesa Camilla Ludinggton que traz uma das movimentações mais reais ao mundo dos games que devia ser tomado como exemplo em games de terceira pessoa. As cenas com o armo são filmadas para serem convertidas em modelagem 3D, assim não temos nada robótico ou perfeito demais, pelo contrário, tudo na medida.
A atriz também dá a Lara o molde para seu novo rosto e sua voz (que a propósito combina com a personagem  além de trazer uma ótima interpretação em momentos trágicos), além de sua interpretação mais humana, ou seja, se você procura os atributos físicos de Lara Croft no mundo real, você está procurando Camilla Ludinggton.

Multiplayer totalmente desnecessário e defeituoso 

Chegamos ao trecho mais polêmico da análise e o ponto mais discutido do game: O multiplayer. Apesar de não ser o foco do game Tomb Raider possuí um modo multiplayer que infelizmente não cumpre as expectativas ou faz jus trailers de divulgação como o que pode ser visto abaixo. O multipalyer apresenta os modos Mata-Mata, Mata-Mata em Equipe e outros dois modos semelhantes aos clássicos Dominations e Capture the Flag. Durante as partidas o jogador deve cumprir o objetivo de acordo com o modo, além de coletar fragmentos e sobreviver. 
Matando inimigos de formas alternativas e vencendo partidas, você ganha XP para subir de nível, e de acordo com seu nível e número de fragmentos você compra personagens e novas armas. Até aí tudo bem se a mecânica funcionasse direito, não apresentasse um lag estrondoso e tentasse renovar e não trazer algo que o mercado já está cansado, isso sem contar os diversos problemas de conexão e de bugs que a propósito não foi desenvolvido pela Crystal Dynamics, mas sim pela Eidos Montreal dando a certeza que foi um grande erro terceirizar a produção de um modo tão aguardado do game.

Problemas, vendas e recepção da crítica especializada

A recepção da crítica especializada em todas as três plataformas são de maioria positiva. É claro que não temos um game livre de problemas que se dão principalmente a perca de origens. O foco agora é muito mair em batalhas do que em exploração, os puzzles são muito mais fáceis e o multiplayer não deveria existir já que só traz pontos negativos ao game.
Lara em frente a um puzzle presente em tumba secreta.
Há também alguns bugs muito simples que deveriam ser corrigidos antes do lançamento do game, seja com patchs no disco ou coisa parecida. O enredo também peca trazendo tudo rápido e simples, sem nada muito complexo e profundo, com um final totalmente esperado e talvez até mesmo clichê. De qualquer forma as qualidades excedem e muito os defeitos, já que estamos falando de um dos melhores games de toda a série Tomb Raider

Conclusão

Tomb Raider é o melhor título do ano do gênero aventura e dificilmente será superado por qualquer outro que ainda chegue esse ano. Se você é fã de games de aventura, terceira pessoa e de Lara Croft, Tomb Raider é um título imperdível pra você. Se você não conhece nenhum game da franquia mas gosta do estilo ou ficou interessado pelo título Tomb Raider não deixa de ser um game indispensável para você, e se ainda, por fim, você simplesmente queira conhecer o gênero, apreciar um bom e simples enredo com o melhor título de uma das franquias mais clássicas de todos os tempos, Tomb Raider é um game para você.


Gráfico +++
Som +++
Jogabilidade +++
Diversão +++
Avaliação Final: +++
Avaliação máxima: +++
Análise feita por Jhonn Willian.
O game foi jogado na versão Xbox360.